23 janeiro, 2012

Em tarde chuvosa, Máster do São Paulo vence o Independente de todos os tempos

Em comemoração ao aniversário de 68 anos do Independente Futebol Clube, a diretoria, em parceria com a empresa Granada Eventos, resolveram promover uma grande festa para homenagear os atletas que fizeram história com a camiseta alvinegra. A partida entre o Máster do São Paulo contra o Independente de todos os tempos, teve como objetivo resgatar a história de ex-jogadores, diretores, empresários e amigos que sempre ajudaram o clube nos últimos anos.

Pouco depois do início da partida, uma verdadeira tempestade caiu sobre o Pradão. A chuva atrapalhou a continuidade da partida e o árbitro foi obrigado a suspender o evento temporariamente. Além de prejudicar o gramado, a chuva também dispersou os torcedores que acompanhavam o desempenho de seus ídolos em campo.
Quando a chuva diminuiu, mesmo com o campo encharcado, a bola voltou a rolar. O alto nível de água atrapalhou demais na condução da bola e os jogadores mais técnicos tiveram dificuldade para concluir as jogadas.

No primeiro lance ofensivo do Independente, que atacava do lado direito da cabine de imprensa, Roberto Cruz recebeu na entrada da área, dominou e bateu para a defesa do goleiro Serginho. No lance seguinte, respondendo ao ataque do Galo, Douglinhas foi derrubado na área e o árbitro marcou a penalidade máxima. Na cobrança, Macedo isolou e mandou por cima do travessão desperdiçando a chance de abrir o placar.

Aos 15 minutos, mais São Paulo no ataque. Muller recebeu na intermediária e chutou forte para a defesa de Pavani, que é o preparador de goleiros do time profissional. O Independente buscava explorar os contra-ataques até que conseguiu marcar o primeiro. Em bola alçada na área, Ronaldão afastou mal e a bola acabou parando na poça d'água. O atacante Roberto Cruz, que estava esperto no lance, aproveitou o rebote, escolheu o canto e marcou um belo gol. 1 a 0.

No último lance do primeiro tempo, Douglinhas recebeu cruzamento na área e livre de marcação, acertou a trave esquerda do goleiro. Como a chuva não deu trégua, os jogadores mudaram de lado rapidamente e o segundo tempo não demorou a começar. O atacante Muller, que comentaria a partida entre XV de Piracicaba e Santos no Sportv, foi embora antes do início da segunda etapa.


Perdendo por 1 a 0 e buscando uma melhor apresentação, o São Paulo foi para o ataque. Douglinhas, sempre ele, recebeu a bola fora da área e chutou forte contra o gol de Pavani. A bola explodiu no travessão e saiu pela linha de fundo. Aos 9 minutos, em mais uma bola espirrada, Douglinhas pegou o rebote e finalizou. Caprichosamente a bola acertou a trave esquerda do goleiro. Sendo pressionado, o Galo só conseguiu atacar aos 15 minutos. Roberto Cruz cruzou da direita e encontrou Sandro Gomes que finalizou para fora.

De tanto insistir, o Máster do São Paulo empatou. Cebinha fez ótima ultrapassagem pela esquerda e cruzou com precisão. Vanderson, bem colocado, só teve o trabalho de escorar e comemorar. 1 a 1. No último bom ataque do São Paulo, mais um cruzamento de Cebinha. A zaga galista afastou mal e, no rebote, Valber dominou, limpou e marcou o gol da vitória tricolor.

O Independente entrou em campo com Pavani; Dadona, Bigoto, Césinha e Careca; Antonioni, Tatinha, Beto Badê e Sandro Gomes; Roberto Cruz e Naldinho. O ex-presidente Marinho, o ex-vice presidente Lucas Moraes e o empresário Roberto Martins também participaram da festa. O Galista Carlos Coletti comandou o time na beira do gramado.

Já o São Paulo, escalou nada mais, nada menos, do que sete ex-campeões mundiais. Serginho, Vitor, Adilson, Ronaldão e Jura; Valber, Muller (Vanderson), Pavão (Cebinha) e Douglinhas, Sidney e Macedo.

Nenhum comentário: