14 fevereiro, 2011

O fim de uma era.


Quem viu, viu. Quem não viu, ficará apenas com as lembranças que a tecnologia nos permite acessar. Vídeos, gols, dribles e toda a história de um mito documentada. Ronaldo foi um fenômeno. Fenômeno de público, de homem, de simplicidade, honestidade e humildade. Tão extinta nos dias de hoje no meio do futebol. Tive o privilégio de acompanhar no Pacambu algumas partidas. Sinceramente, nunca vi igual. A movimentação, os passes e a colocação cirurgica de um atacante que sabia exatamente onde a bola iria chegar.

Depois do Careca, veio o Romário e deu conta do recado. Em seguida, apareceu Ronaldo. Ronaldo Nazário de Lima que virou Ronaldinho. E depois voltou a ser Ronaldo. Simples assim. Aquele que seria o sucessor natural, que atende pelo nome de Adriano, o destino preferiu afastá-lo do Império. O futebol brasileiro teve o orgulho de apresentar o maior artilheiro de todas as copas ao mundo.

E no Corinthians não foi diferente. Ronaldo marcou gols contra o Palmeiras, Santos e São Paulo. Na era Ronaldo, era bola na rede e o Corinthians sem perder clássicos. Foi importante na valorização da marca em todo o mundo. Infelizmente, com o episódio da desclassificação na libertadores, Ronaldo passou por aquilo que não deveria passar.

E mesmo assim. Com uma desculpa do tamanho do mundo, preferiu jogar a responsabilidade toda para o seu lado. Está parando por que não consegue mais acompanhar os movimentos físicos que a mente o manda executar. Da torcida, disse apenas coisas boas. Não usou desculpa alguma de que está saindo por que sofreu alguma retaliação por conta dos torcedores.

Foi lindo, Ronaldo. O futebol brasileiro agradece a passagem eufórica desses 18 anos de glória. Nós, Corintianos, sentimos orgulho de dizer que um dos maiores artilheiros da história do futebol encerrou sua carreira no Corinthians!

Foi lindo. Lindo demais!

Um comentário:

Anônimo disse...

o Corinthians tinha um sonho e o Ronaldo comeu! Hipotiroidismo é doença de mulher cacete!